Inspiração & Ideias

Como decorar uma sala

Média: 4.5 (319 votos)
Sala de estar

A sala é uma das mais frequentadas divisões da casa, ora para esticar as pernas no fim de um dia cansativo, ora para ver um bom filme a dois num sábado chuvoso ou para oferecer um lanche aos amigos num domingo à tarde. Espaço multi-facetado, prepare-o a preceito para receber bem habitantes e visitantes!

Cor q.b.

  • Uma das primeiras decisões a tomar quando se decora uma sala (ou qualquer outra divisão) é decidir os tons que vão dar personalidade a este espaço… e esta não tem de ser uma escolha difícil! Há quem diga para fugir das monótonas paredes brancas, mas a verdade é que esta, que é uma das cores mais simples, cria um efeito visual intenso e amplo, principalmente se também for aplicada nos sofás, móveis e outros elementos. Por fim, é óptima porque combina com tudo!
  • Se preferir outros tons, escolha cores versáteis – castanhos, beges, pretos – que podem facilmente ser alvas de um refresh de vez em quando e que ficam bem com quase todas as cores do arco-íris.
  • Antes de comprar meia dúzia de latas de tinta, pense se quer realmente pintar todas as paredes ou apenas uma? Quer destacar apenas o pilar da lareira? Pintar os rodapés e os contornos das janelas seria outra opção interessante, não acha? E se esquecesse as paredes e aplicasse cor ao tecto? Considere as várias opções possíveis antes de pegar no pincel!
  • Guarde as cores vivas – laranja, amarelo, azul forte ou fuschia – e cintilantes – prateados ou dourados – para os acessórios.  

Com muito estilo

  • A decoração deve ser, acima de tudo, um reflexo de quem habita o espaço em questão, seguida de elevados padrões de conforto. Aliás, uma sala de estar tem de ser obrigatoriamente sinónima de comodidade, se não, quem é que vai querer estar lá?!
  • Para que a sala seja a sua cara, estabeleça algumas linhas orientadoras: seja minimalista, hi-tech, rústico ou contemporâneo, pôr os olhos nalgumas revistas de decoração pode ajudá-lo a definir um estilo com o qual se identifica. Depois, é só começar a compor a sala a partir daí. Se, por outro lado, já definiu o tipo de mobília que quer ou se já a tem, estará a meio do processo, agora é só decorar, decorar, decorar!
  • Dentro do ambiente que criou na sua cabeça (ou que muito inteligentemente passou para o papel!), não tenha medo das misturas! O sofá de 3 lugares não tem de ser igual aos sofás individuais, pode perfeitamente combiná-lo com dois poufs gigantes, uma chaise-lounge ou duas poltronas – tudo em cores ou padrões condizentes. Se as peças estiverem enquadradas no estilo escolhido e/ou na palete de cores, o conjunto vão acabar por se harmonizar.

Quero espaço!

  • O aproveitamento de espaço é a mais valiosa lição de design de interiores que alguma vez pode aprender e deve ser aplicada em todas as divisões da casa. A sala é uma tela branca perfeita para aperfeiçoar esta técnica, começando pela disposição de todo o mobiliário num layout que favoreça, tanto os momentos passados a ver televisão, como aqueles passados em convívio!
  • Independentemente se tem uma sala vazia à sua disposição ou se vai redecorar a existente, comece por definir o ponto central do espaço, ou seja, a partir de que elemento vai organizar a mobília. Pode ser um pilar, janelas amplas, a lareira ou a porta de acesso ao terraço.
  • Se for um dos sortudos que tem uma sala de estar XL, temos uma palavra para si: ouse! Coloque o sofá na diagonal, integrando as restantes peças a partir daí; projecte uma verdadeira sala de família ou sala multiusos ao criar pequenos espaços distintos para os miúdos poderem brincar, um cantinho para a leitura ou para o seu marido poder trabalhar no portátil enquanto você vê o “Querido Mudei a Casa”!
  • Não é o fim do mundo se a sua sala for minúscula – tire o máximo partido desta “miniatura” ao colocar um espelho do chão ao tecto ou uma mesa de vidro, ambas criam a ilusão de uma sala mais ampla. Para um efeito espectacular (e contrariando a lógica) escolha uma peça XL para este espaço – pode ser uma mesa de centro, um candeeiro de pé ou armário – as atenções vão estar de tal maneira vidradas neste elemento que ninguém vai reparar na sua sala pequena!
  • Recantos recônditos podem ser aproveitados para embutir prateleiras (que nunca são demais!) ou para encaixar um móvel alto e estreito (pode comprar ou mandar fazer à medida para um look perfeito!) que poderá guardar copos ou garrafas e servir de bar quando tiver convidados.

Sofás e outros descansos

A busca do sofá perfeito tem muito que se lhe diga, não fosse este o rei da sala e sinónimo de elevado investimento! Para assegurar um sofá confortável e duradouro terá de passar a 5 testes:

  • Estrutura – esta deve ser preferencialmente de madeira (fuja dos contraplacados, plásticos e metais!), tem de ser sólida e incluir pés; pode testar a sua robustez fazendo o seguinte: ao levantar uma das esquinas da parte da frente do sofá cerca de 15 cm, a outra perna da frente também tem de se levantar, se não aconteceu, a estrutura é demasiada frágil.
  • Juntas – apenas são permitidas as de madeira ou metal, ou seja, nada de pregos, agrafos e colas.
  • Molas – são imprescindíveis e devem estar juntas e bem apertadas, se quando se sentar ouvir um pequeno estalo que seja, esqueça!
  • Enchimento – as melhores opções são a espuma de alta resistência que incorpora penas ou a espuma de poliuretano, para um maior conforto e para um sofá que não fique desfigurado em pouco tempo!
  • Têxteis resistentes – o algodão e o linho são óptimos, mas são tecidos que ficam facilmente presos a tudo e mais alguma coisa; os sintéticos e micro fibras são uma boa opção e mais resistentes às nódoas que os anteriores; as fibras naturais e sintéticas poderão parecer velhas em pouco tempo; a lã e a pele são extremamente fortes, mas também são as mais caras; a seda é lindíssima mas muito frágil.

Mesas, estantes e outros móveis de apoio

Quando estiver às compras, à procura da mesa de centro, uma das peças chaves de qualquer sala, dê especial atenção às seguintes características:

Tamanho e Forma – nem muito grande, nem muito pequena, a mesa do centro tem de ser proporcional ao espaço que a vai acolher; se for oblonga não deve ser maior do que metade do comprimento do sofá, com uma largura de 75 cm no máximo; a mesa quadrada está muito na moda e a rectangular não fica nada atrás, sendo que ambas devem ter um espaço livre de 80-90 cm entre o restante mobiliário para permitir a fácil circulação das pessoas; se o espaço disponível for mais apertado, uma mesa redonda (com um diâmetro de cerca de 90 cm) é uma boa solução. Independentemente do modelo escolhido, as mesas não devem ser mais altas do que o assento do seu sofá, ou seja, cerca de 50 cm, para conseguir um efeito horizontal linear.

Material – apesar da madeira ser, em termos de resistência e durabilidade, a escolha acertada, a verdade é que uma mesa de centro pode ser de qualquer material, desde alumínio, cobre e acrílico, a metal, vidro ou até uma porta antiga aproveitada!

  • Quer inovar? Em vez de uma mesa de centro “normal”, coloque uma arca antiga ou moderna (vai ser também um excelente local para guardar jogos, mantas e outras bugigangas!), uma otomana ou prescinda dela por completo! As mesas empilháveis, que podem ficar ao lado do sofá e colocadas no centro sempre que forem precisas, são outra excelente opção para uma sala de estar.
  • O móvel para a televisão deve ser adquirido a pensar em todos os outros equipamentos hi-tech que lhe fazem companhia, para que este fique um verdadeiro e bem constituído media centre! A existência de algumas gavetas ou armários são ideais para arquivar os seus filmes e CDs preferidos. E não se esqueça: uns bons 2 ou 3 metros é a distância ideal entre esta mesa e o sofá.
  • Se tiver espaço, uma mesa de apoio ao sofá, para colocar livros e um candeeiro, ou uma mesa estreita por de trás do sofá para as fotos de família, ficam sempre bem!  

No chão

  • Por vezes, andamos tão preocupados com o mobiliário, as paredes e as peças decorativas que não olhamos para baixo – para o chão! Para quem adora andar descalço, existem materiais sumptuosos para mimar os seus pés e até os chinelos! Se, por outro lado, não aprecia o barulho dos tacões e não vive sem um bom tapete a seus pés, tem muito por onde escolher!  
  • Os tapetes sintéticos (polipropileno ou nylon) são económicos, bons a disfarçar a sujidade e anti-água, mas de pouca duração; os de algodão são baratos e vão à máquina de lavar, mas mancham e descoloram facilmente; para um toque ecológico opte por tapetes de sisal, juta ou bambu; os tapetes de lã são extremamente resistentes (principalmente às nódoas) e não espalmam com facilidade (basta passar o aspirador!), são os mais caros, mas também sobrevivem a décadas de pegadas!
  • Em termos de tamanho, um tapete muito grande pode “afogar” todo o aspecto da sala, enquanto um demasiado pequeno dará a impressão que “falta alguma coisa”.
  • Para um estilo mais informal, coloque a mobília metade em cima da carpete, metade em cima do chão; para atingir um look mais formal, coloque a peça completamente sobre o tapete ou completamente sobre o chão.

Ilumine-se!

  • Se delineou vários ambientes distintos, certifique-se que cada espaço tenha luz apropriada e suficiente. Para além de um bom candeeiro de tecto – para quando tiver a sala cheia – não dispense os candeeiros, de mesa ou de pé, que conferem ambientes mais intimistas.
  • As velas também entram neste campo porque iluminam, o ambiente e o espírito! 

O toque dos têxteis

  • O toque de magia na sala será vesti-la com têxteis luxuosos e apetecíveis, uma combinação de cores e texturas que podem transformar a sua sala num abrir e fechar de olhos.
  • Ganhe um novo sofá, poltrona ou cadeira ao cobri-los com capas divertidas e coloridas. O mesmo aplica-se às mesas que podem ser vestidas ou despidas com toalhas diferentes, conforme a inspiração! Se não for adepto das capas, escolha um tecido e mande estofar os seus velhinhos sofás – ficará sempre mais em conta do que comprar um novo!
  • Não se esqueça das almofadas e das mantas para um apontamento extra-confortável. Objectos de puro deleite são, ainda por cima, económicos, o que quer dizer que pode renová-los frequentemente. As almofadas têm ainda outra mais-valia – tendo as bases, só tem de adquirir as fronhas para mudar o look sempre que quiser!  
  • As cortinas completam qualquer ambiente e, corridas ou abertas, criam o ambiente que quiser associar ao seu estado de espírito do momento (para não dizer que escondem vidros que estão por limpar!)

Peças que dão vida e outras ajudas

  • A partir de agora, o resto é consigo – dedique-se à procura e aquisição de peças únicas e pessoais para decorar a sala de estar. As combinações são inúmeras – livros, taças e jarras em vidro ou porcelana, quadros, estatuetas, peças de arte – o importante é não encher demasiado o espaço, nem fugir radicalmente ao estilo e palete de cores escolhidas inicialmente.
  • As plantas ou um cesto bonito para acolher revistas têm ainda outro papel engraçado – esconder os fios da televisão, DVD, Playstation e sistema de som.
  • Aproveite uma peça decorativa grande – um prato, uma peça em estanho ou um cesto para juntar todos os comandos que hoje são mais que muitos!
  • Acima de tudo, seja criativo e original – para um efeito surpresa, decore um recanto com um objecto invulgar que tenha trazido de uma viagem ou recicle velhos objectos, adaptando-os à nova decoração.
Média: 4.5 (319 votos)