Inspiração & Ideias

Como escolher e trabalhar com um decorador profissional

Média: 4.8 (11 votos)

Na hora de decorar uma casa inteira ou uma simples divisão, entre as muitas questões que surgem, junta-se ainda mais uma: devo contratar um decorador profissional? Adquirir este gênero de serviços tem as suas vantagens e desvantagens, mas se a resposta for sim, saiba tudo o que precisa para escolher bem o seu decorador profissional.

Contratar ou não contratar?

Contratar um decorador não é uma decisão fácil de se tomar, no entanto, se responder sim a qualquer uma das perguntas abaixo apresentadas, talvez não seja má ideia considerar a experiência e o know-how de um profissional para o ajudar a iniciar e/ou completar todos os seus projetos decorativos.

  • Cada minuto do seu dia está recheado de compromissos profissionais, sociais e familiares? Tendo em conta a sua vida agitada, sente que não consegue envolver-se em mais nenhum projeto?
  • Quando olha para paletes de cor, tecidos, tintas e quadros de inspiração fica confuso com tanta escolha e não sabe por onde começar?
  • Já comprou algumas peças com o intuito de decorar determinada divisão, mas depois na prática não sabe o que há-de fazer com esses elementos?
  • Não consegue chegar a um consenso com o seu companheiro/família sobre a forma como devem decorar a casa?
  • Quer que a sua casa seja uma verdadeira obra-prima, algo original e totalmente diferente daquilo que tem visto?

Como escolher um decorador profissional?

Existem três formas de “descobrir” o decorador profissional certo:

  • Referências pessoais: familiares e amigos que possam conhecer ou já ter trabalhado com um decorador profissional são as pessoas ideais para recomendar alguém.
  • Associações profissionais: muitos decoradores pertencem a associações profissionais do setor que pode contatar para fazer a sua escolha inicial.
  • Internet: a Internet é a ferramenta de autopromoção mais valiosa que qualquer profissional pode utilizar e, no ciberespaço, não faltarão decoradores por onde escolher.

Entrevista de seleção

Tal como se entrevistam vários candidatos para um cargo de trabalho antes de recrutar a pessoa ideal, também na escolha de um decorador profissional este é um passo crucial. Agende reuniões com 2 ou 3 decoradores que se tenham destacado de alguma forma na sua pesquisa inicial e, se é possível, aproveite para realizar esse encontro na sua casa onde o profissional possa já ficar com uma primeira impressão do espaço a decorar. Esta ocasião deve ainda ser aproveitada para visualizar o portfólio de trabalho do designer – esteja atento ao estilo do decorador, ou seja, se os projetos são muito parecidos entre si ou completamente diversificados. Além disso, faça questão de esclarecer todas as suas dúvidas: que serviços são incluídos na sua contratação? Quais serão as suas responsabilidades? Quem vai contratar os outros profissionais necessários (pintores, carpinteiros…)? Quais são os seus honorários e a forma de pagamento? Prazo previsto para conclusão? Pode fornecer-lhe referências de antigos clientes? Por fim, não descuide a empatia que possa ou não existir entre ambos e a forma como o decorador possa ter encarado o seu projeto… afinal de contas, vai entregar-lhe as chaves de casa.

Mãos à obra

Uma vez escolhido o decorador profissional, não pense que o seu trabalho está concluído – a não ser que a ideia é dar “carta-branca” ao designer! Invista algum tempo a reunindo ideias e inspirações acerca de como gostaria que ficasse a decoração final do espaço em questão. Inspire-se em revistas e sites especializados para reunir imagens e amostras das coisas que adora (cores, texturas, padrões, têxteis, mobiliário…), assim como delinear o(s) objetivo(s) desse espaço e quem serão os seus principais beneficiários. Deve ainda fazer uma lista das coisas que não gosta (por exemplo: o preto e o amarelo, padrões florais e mobília clássica...) e decidir se há mobília e/ou peças decorativas que quer manter ou reciclar para se adaptar à nova decoração. Quanto mais detalhista for, mais fácil será comunicar exatamente aquilo que quer e o que não quer, o que facilitará o trabalho do decorador. Um bom designer – mesmo que tenha algum tipo de especialização – será capaz de identificar os seus gostos pessoais, o seu estilo de vida, as suas ideias…  e criar um espaço que seja um reflexo disso mesmo.

Decoração & Dinheiro

Sabemos que a decoração custa dinheiro, principalmente se a nossa paixão for mobília e peças assinadas pelos designers mais conceituados do setor. No entanto, a oferta em termos decorativos é tão vasta que é possível remodelar uma divisão inteira com um orçamento reduzido. A não ser que vá entregar ao seu decorador profissional um cheque em branco, deixe bem claro qual é o orçamento que tem para o projeco a ser executado e, em conjunto, procurem formas criativas e estilosas de o cumprir.

Final feliz

Durante todo o processo de decoração, deve olhar para o seu decorador como um parceiro e não como alguém que simplesmente trabalha para si – lembre-se que no fim, quem terá de viver na casa ou divisão remodelada é você. É importante que ambos estejam disponíveis e contatáveis no caso de surgir algum imprevisto ou problema; e façam um ponto de situação diário ou semanal. Mantenha as linhas de comunicação abertas durante todo o projeto: se tem dúvidas, diga; se há algo que não esteja gostando particularmente, manifeste-se; se começa a ver o tempo apertado e o projeto atrasando, chame a atenção do decorador. Em contrapartida, saiba ouvir: o decorador profissional é, afinal de contas, isso mesmo, um profissional experiente e de confiança, com ideias e sugestões criativas para por em prática. Aproveite tudo isso!.

 

Crédito Imagem: 1

Decorou ou redecorou um espaço?

Média: 4.8 (11 votos)
Retrato de Denise123 Denise123

Boa noite
Existem decoradores on line?

13.01.2011 - 03:07