Inspiração & Ideias

Como decorar uma sala de jantar

Média: 4.2 (61 votos)

Normalmente reservadas para ocasiões especiais, a formalidade das salas de jantar têm vindo, ao longo dos últimos anos, a tornar-se mais casuais, mas sem perder o encanto de ser um dos locais mais especiais de uma casa.

Espaço de convívio

Da mesma forma que se requer que uma sala de estar seja confortável, o ideal é que a sala de jantar seja propícia ao convívio, não fosse esse o seu grande motivo de existência. Embora nos dias que correm nem todas as pessoas têm casas suficientemente grandes para dedicarem uma divisão inteira à sala de jantar, este espaço ainda não está em vias de extinção. Felizmente! Porém, deve decorar uma sala de jantar de acordo com o uso que lhe vai dar – recebe muitas visitas por isso quer uma sala de jantar com todos os requintes? Tem uma família numerosa e muitas crianças, por isso, precisa de uma sala de jantar espaçosa e prática? Tem de dividir a sala de jantar com a sala de estar? Quer uma sala de jantar multifuncional? Em termos de mobília, vai optar pela tradicional madeira, o clássico vidro ou vai ser mais arrojado com peças de design em plástico revestido, ferro ou latão? Saiba as respostas a estas e outras perguntas antes de avançar.

Salas de jantar multifuncionais

Será sempre mas fácil decorar uma sala de jantar com a sua própria divisão, do que uma sala de jantar que terá de partilhar o seu espaço com uma sala de estar e/ou cozinha. Há ainda quem, por falta de espaço e/ou devido ao estilo de vida que adoptou, quer rentabilizar a sala de jantar como escritório ou espaço de estudo para as crianças. Parece complicado? Não é, afinal o que seria a decoração sem um bom desafio? O truque é conseguir uma harmonia em termos de palete de cores (os tons quentes estimulam a conversa!) e estilos, ao mesmo tempo que se consegue manter a fluidez do espaço e do movimento. Por vezes, bastam dois grandes tapetes para diferenciar um ambiente do outro, mas existem outras soluções igualmente criativas e funcionais: portas de correr, cortinas, um simples biombo ou outra peça de mobiliário de grandes dimensões para traçar uma divisória bem marcada. Planear o espaço é o primeiro e o mais importante dos passos quando se trata de decorar uma sala de jantar.

À volta da mesa

Ponto de interesse central de uma sala de jantar, é em torno da sua mesa que tudo vai, literalmente, girar! A sua escolha deve ser ponderada, para ser acertada – é que a mesa certa, pousada sobre um tapete vistoso ou centrada em frente a uma janela, é meio caminho andado para uma decoração perfeita. Porém, a dimensão da mesa deve ser sempre escolhida tendo em conta o espaço disponível: certifique-se que as pessoas sentadas terão espaço suficiente para as pernas, para se levantarem e circularem sem incomodar os restantes convidados. É precisamente por isso mesmo que um dos modelos de mesa de jantar mais procuradas são as extensíveis, que crescem conforme a necessidade. Mas existem outras soluções, igualmente apelativas: sabia que a mesa redonda é a preferida para conversar e que suaviza uma sala muito rígida? Uma pequena mesa quadrada é a melhor solução para um espaço apertado? As mesas rectangulares e compridas favorecem as salas rectangulares? Descubra a ideal para si.

Faça o favor de sentar-se

Escolhida a mesa, que venham as cadeiras! E não estamos a falar de poltronas pesadas em veludo… ou talvez até estamos – hoje vale tudo em torno da mesa de jantar. Desde um conjunto de cadeiras iguais, a cadeiras diferentes (um ou dois modelos distintos), passando por pequenos sofás ou mesmo cadeiras de um lado e um sofá do outro (no fim da refeição é só afastar a mesa e saborear o café no conforto do sofá!). A escolha dos respectivos tecidos também deve ser tida em conta consoante o estilo de vida, se existem ou não crianças – uma das grandes vantagens dos padrões é a sua capacidade de camuflar sujidades indesejadas e, nesse sentido, pode sempre optar por capas laváveis. O mesmo não se pode dizer do couro ou da camurça, que requer outro tipo de cuidados. Há ainda quem prefira os bancos de madeira compridos, ao natural, forradas a tecido ou uma combinação dos dois, que podem ser móveis (e facilmente arrumados debaixo da mesa, ideal para quem tem pouco espaço) ou ainda embutidos na parede para aproveitamento de espaço. Uma coisa é certa, ninguém vai ficar de pé!

Móveis de apoio

Para além de completarem e equilibrarem a disposição de mobiliário na sala de jantar, os móveis de apoio criam importantes pontos de interesse e de organização. Numa sala de jantar existem três principais móveis de apoio: um aparador, um armário/vitrina e um carrinho de chá ou outra mesa condizente. O primeiro é essencial para organizar pratos e travessas, enquanto a segunda deve ser reservada aos copos e outras peças de vidro e cristal, até porque todos estes elementos são frágeis e podem facilmente atrapalharem-se ou pior, partirem-se – daí a sua separação. Um carrinho de chá é um apoio excelente para convívios sentados onde parece nunca haver espaço suficiente na mesa, sendo ainda perfeito para servir de bar.

Tapetes aos seus pés… ou não  

Um gigantesco tapete na sala de jantar pode diferenciá-la de outros ambientes na mesma divisão, tornar o espaço menos formal, pode proteger o chão, tornar o ambiente mais aconchegante e se tiver um padrão pode esconder eventuais nódoas; por outro lado, a ausência de tapete pode realçar um chão magnífico, conferir um certo glamour ao espaço e refrescar o ambiente. Conclusão? Pode perfeitamente experimentar as duas opções e, no caso de optar por colocar um tapete, certifique-se que este é maior do que a mesa, para que as cadeiras estejam sempre pousadas sobre ele, mesmo quando puxadas para trás.

Cortinados abertos e fechados

Se uma sala de jantar é o espaço de convívio por excelência, os cortinados dessa divisão são o convite para se deixar ficar mais um pouco. No entanto, vestir as janelas de uma sala de jantar nem sempre é fácil porque é necessário encontrar uma solução que deve ser simultaneamente apelativa de dia e de noite. Antes de tomar uma decisão, deve reflectir sobre a seguinte questão: as cortinas funcionarão como elemento decorativo apenas ou terão um papel igualmente importante no resguardo da privacidade do espaço? Se a resposta for a primeira, terá a tarefa facilitada no sentido de que precisará de pouco tecido para um efeito igualmente deslumbrante, o que significa que talvez possa até escolher um material um pouco mais caro ou até reversível para permitir mudar o look das janelas sempre que lhe apetecer. Existem várias combinações possíveis para decorar janelas e que se apresentam igualmente vistosas, de dia e de noite: uma romanete (permite resguardar do sol, sem escurecer a sala) com uma cortina a condizer; uma cortina semi-transparente para o Verão, à qual pode sobrepor uma mais grossa no Inverno; cortinas que podem ser corridas a todo o comprimento ou puxadas para trás com braçadeira para uma sala de jantar mais formal ou simples estores para uma sala mais casual.

Iluminação perfeita

Se há espaço da casa que necessita de uma boa e interessante variedade de iluminação, é a sala de jantar. Comece por escolher candeeiros de tecto, necessários para iluminar toda a sala aquando da preparação do espaço e adequadamente durante uma festa em que as pessoas circulam livremente; sendo que um destes deve incidir directamente sobre a mesa de jantar. Não descure candeeiros de mesa, colocados preferencialmente no aparador para criar um ambiente mais intimista e para iluminar esse espaço no caso de servir um buffet. Os apliques de parede podem ser uma alternativa aos candeeiros de mesa ou então a solução perfeita para destacar peças de arte que tenha a decorar as paredes dessa sala. Em termos de iluminação, a rainha da sala de jantar sempre foi e continuará a ser o elegante lustre, que confere um dramatismo e glamour único. Na hora de pôr a mesa, nunca se esqueça da luz de velas, é que uma bonita sala de jantar pede sempre uns castiçais a condizer.

Elementos decorativos: poucos e bons

Por menos imponente que seja, uma sala de jantar é sempre majestosa e mágica, o que significa que não é necessário encher as suas superfícies com muitas peças decorativas – bastam algumas, bem escolhidas, que podem ser substituídas periodicamente. Objectos de vidro, esculturas, garrafas de licor, peças menos usadas de um serviço de jantar antigo ou extravagante, velas, um arranjo floral no centro da mesa são apenas algumas ideias, às quais se juntam um ou mais quadros para um toque de dramatismo, de vida e de cor… para além de serem um excelente tema de início de conversa.

Média: 4.2 (61 votos)