Inspiração & Ideias

20 dicas para decorar com padrões

Média: 3.4 (22 votos)
Sala colorida tons laranja

A combinação perfeita entre vários padrões é um apontamento vistoso para qualquer divisão… a não ser que seja em exagero. Saiba como coordenar roupa de cama, edredões, mantas, almofadas, mobília estofada, cortinas, tapetes e papel de parede padronizado de forma profissional e harmoniosa.  

  1. O equilíbrio é a peça chave: demasiados padrões contrastantes podem parecer caóticos e demasiada repetição pode tornar-se monótona e exageradamente coordenada. Um tecido padronizado é visualmente mais “pesado” do que um tecido liso.
  2. Repita pelo menos uma cor em cada padrão, quando juntar padrões diferentes.
  3. A coordenação de vários padrões exige uma cor de fundo igual para todos – branco, marfim, pérola ou outros tons neutros.
  4. Para tornar menos intensa a sobreposição de padrões e criar um visual mais interessante, adicione apontamentos lisos como almofadas de uma só cor ou mantas com texturas.
  5. Misture os tamanhos dos próprios padrões, não se cingindo em exclusivo aos pequenos, médios ou grandes.
  6. Normalmente, os números ímpares funcionam bem, por isso, siga a regra dos três padrões: o primeiro deve ser o maior, o mais ostentoso, aquele que mais gosta; o segundo deve ser metade do tamanho do primeiro e, desde que partilhe das suas cores pode ser completamente diferente; o terceiro vai unir o primeiro e o segundo por isso deve conter os mesmos tons ou então complementar um dos padrões.
  7. Padrões mais caóticos vão avivar um espaço, enquanto os padrões mais simples têm um efeito tranquilizador. Por outro lado, os de maior dimensão não são apropriados para espaços pequenos que requerem padrões a condizer, para não “afogar” toda a decoração.
  8. Quando utilizados em conjunto, os padrões grandes vão criar uma união equilibrada entre todo o espaço; ao contrário dos padrões pequenos que focam o olhar numa área restrita.
  9. Faça questão de pedir amostras dos padrões que pretende, de forma a poder testá-los “ao vivo” no espaço que vão decorar, bem como para ajudá-lo na aquisição de peças condizentes.
  10. Não descure o tamanho da mobília se lhe quiser aplicar um padrão, ou seja, da mesma maneira que um sofá de três lugares ficaria desinspirado com um padrão diminuto, também uma cadeira de sala de jantar ficaria desproporcionada com um padrão grandioso… funcionaria muito melhor ao contrário.
  11. Os padrões devem decorar apenas uma pequena ou moderada parte da divisão, para não entrar em exagero. Procure o equilíbrio também nas peças de mobiliário, que devem ter uma presença forte, ou seja, têm de “aguentar” os diferentes padrões sem os ofuscar e vice-versa.
  12. Não se esqueça do tapete, pode ser um dos padrões mais importantes do espaço e o ponto de partida para a restante decoração.
  13. A combinação de padrões exige que estes partilhem do mesmo efeito visual, ou seja, um padrão geométrico funcionará melhor com um padrão circular do que com um floral, que encontrará o seu equilíbrio perfeito com paisleys ou outros motivos inspirados na natureza.
  14. Os padrões florais suavizam a decoração, enquanto os padrões geométricos criam ilusões visuais. Por exemplo, listas verticais vão fazer um espaço parecer mais alto e listas horizontais parecem alongar uma divisão.
  15. Na escolha de padrões para um quarto de dormir, é importante ter em consideração se essa divisão é apenas utilizada à noite ou também ao longo de todo o dia. Se for um espaço exclusivamente destinado ao repouso, os padrões devem ser mais simples e relaxantes; ao contrário de um quarto de adolescente, onde podem ser mais ousados.  
  16. Pode brincar à vontade com os padrões em espaços que utiliza menos vezes ou por pouco tempo de cada vez, caso do hall de entrada, quarto de hóspedes ou casa de banho de serviço.
  17. Uma sala de estar (principalmente quando incorpora a sala de jantar) já tem tantos pontos focais que não necessita de padrões que distraem, mas antes que unifiquem todo o ambiente decorativo. Padrões muito audazes podem “competir” com os cortinados ou peças de arte, mas também com a televisão e o tapete, criando uma ambiência confusa e pouco convidativa.
  18. Mais dramática e menos usada, a sala de jantar é o cenário perfeito para jogar com padrões originais que, aplicados aos estofos das cadeiras e/ou ao tapete também funcionam como um “esconde nódoas”.
  19. A cozinha é dominada por móveis e bancada, daí os padrões serem muito bem-vindos, uma vez que quebram essa monotonia. Como o espaço que lhes é reservado é pouco, podem ser mais divertidos e arrojados – cortinas com um desenho geométrico, a aplicação de papel de parede num recanto, almofadas ou coberturas para as cadeiras.
  20. Procure estender o uso dos padrões a outras divisões da casa, de forma a assegurar uma decoração fluida. Por exemplo, se a entrada for dominada por riscas pretas e brancas, este pode ser o ponto de partida para a divisão que se segue.
Média: 3.4 (22 votos)